Ruben Pinto, nascido em Ovar e natural de Maceda, nasceu numa família de músicos, desde o seu bisavô que era Maestro, aos avós e tios que tiveram uma banda, aos pais e família por andarem num rancho folclórico. Iniciou o seu percurso musical desde muito cedo, começando no rancho folclórico, onde toda a família andava, e aos 5 anos ingressa numa escola de música para iniciar os seus estudos musicais. Com 6 anos de idade, integra uma banda do seu Tio/Padrinho e desde então começou a progredir neste seu percurso. Forma-se em Música na vertente de Ensino de Guitarra na qual ainda hoje exerce funções tanto a nível de ensino como de trabalhar em estúdio com artistas e bandas.  Fez parte de muitas bandas, trabalhou com vários artistas, alguns de renome no panorama musical e desde então não mais parou!

A solo, enquanto intérprete, pisou vários palcos tais como: Aula Magna, Coliseu do Porto, Sala de espetáculos do Europarque, sala de Neauchatel na Suíça, entre outros, assim como palcos exteriores. Foi fazendo o seu percurso gradualmente mas sempre com o sonho de um dia ter um trabalho seu. Eis que em 2016 grava o primeiro  single e no final de 2018 eis que nasce o seu primeiro disco intitulado “Acredito que sim” que conta com onze temas. O ditado é velho mas certeiro “O sonho comanda a vida” e Ruben Pinto é um exemplo disso! Sempre acreditou,

Sempre lutou e o produto fez-se!
Reconhece e agradece a ajuda da família, particularmente, dos pais, irmão e avós!
Dedica este trabalho a todos os fãs e amigos que gostam de si e do seu trabalho e a todos aqueles que tal como o cantor acreditam que os sonhos são possíveis!

Quem é o Rúben Pinto?

Sou um aficionado de música, e muito muito apaixonado por música. Venho de uma família de músicos, desde o meu bisavô que era maestro, depois os meus avós e os meus tios tiveram um grupo. Tenho um tio que é artista na Venezuela. Aos seis anos comecei com o meu tio/padrinho e com essa idade já andava a pisar palcos e desde então nunca mais parei. Fiz a formação como músico na vertente guitarra, pisei vários palcos, e já tive algumas experiências musicais, incluindo trabalhar com alguns artistas!

O teu bisavô, tendo sido um grande maestro e agora com 100 anos ainda te ajuda nos teus projetos? Vocês conversam sobre música?

Estou algumas vezes com o meu visavô e ainda tenho o privilégio de pudermos estudar música os dois. Falamos sobre  tudo que seja relacionado com música.

O facto da tua família estar toda ligada à música teve alguma influência no teu percurso pela música ou foi sempre algo que quiseste?

A minha família é toda ligada ao folclore, e na altura que a minha mãe estava grávida ela dizia que eu andava na barriga dela e já andava aos saltos. No entanto, desde que me conheço sempre quis música, instrumentos. Em pequenino nunca quis carrinhos, eu queria  instrumentos musicais.

Nunca quiseste ter outra profissão, que não ser músico?

Não. Desde a escola primária que o meu sonho era ser cantor, músico e professor, e de facto essas são as profissões que tenho hoje.

Já agora uma vez que és professor: tens alguma academia tua? dás aulas onde?

Tenho uma escola minha que é a mace music ( é um espaço de formação e um mini estúdio ) . Depois trabalho para uma academia ( a academia FUSA em Ovar) e tenho outro projeto que me dá bastante orgulho que é ser professor numa Universidade sénior. Estou a colocar os séniores a tocar guitarra e cavaquinho tradicional português e ensinar -lhes música por pauta. Tem sido um trabalho fantástico e ao mesmo tempo enriquecedor na minha vivência.

o que sentes quando ensinas os séniores?

Tenho orgulho de eles me terem escolhido a para lhes ensinar. Em segundo lugar, é a relação que nós podemos ter. Lidar com os idosos é uma coisa fantástica, eu tenho alunos que foram grandes senhores/as no mundo, e pessoas que cruzaram a minha infância. Eles contam histórias deles que eu nunca mais esqueço, É fantástica a nossa relação e o ambiente, somos uma família.

Já mencionaste que tocas alguns instrumentos, nós queremos saber quem faz as tuas músicas?

O trabalho em equipa é sempre mais eficaz do que trabalharmos sozinhos, tenho amigos produtores que tenho o privilégio de trabalhar com eles. Comecei há pouco tempo a compor e a escrever as minhas letras, existem algumas músicas que as pessoas já conhecem que tem o meu cunho pessoal.

No que te inspiras para fazer as tuas músicas?

Inspiro-me na minha vida e em histórias de vida de outras pessoas, mas existe uma dádiva que a vida nos dá e nós desperdiçamos tanto … o mar.

Quais são as tuas referências musicais?

Tenho muitas mas, por exemplo, a nível nacional tenho o meu padrinho da música que já faleceu à algum tempo:  Graciano Saga.
O Ménito Ramos que foi o primeiro produtor com quem trabalhei no meu single “Acredito que sim” , tenho o Beto que era um excelente ser humano, dono de uma grande voz.
A nível estrageiro tenho o Michel Boltan, o Bryan Adams, Bom Jovi, Rod Stewart e Stevie Wonder.

RÚBEN FOSTE O ESCOLHIDO PELO PÚBLICO PARA SER O ARTISTA DA SEMANA. COMO TE SENTES A ESSE RESPEITO?

Em primeiro lugar, quero deixar um abraço aos meus colegas que estiveram em votação. Ser condecorado com o primeiro lugar é fantástico. Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que votaram. É gratificante ver esse reconhecimento porque eu sou genuíno com todos, e o que sou no palco sou fora dele, e isso é que torna diferente.

Rúben queres dar um conselho a quem tem o mesmo sonho que tu?

Nunca desistam do sonho, como eu nunca desisti. Idealizem bem aquilo que querem e pretendem. Sejam pessoas corretas, honestas e humildes…. não percam a humildade.
Em toda a nossa vida devemos agir com humildade, esse é um bem que devemos ter sempre bem presente na nossa vida, e que nos é passado pelos nossos pais. E eu agradeço isso. Agradeço a educação que os meus pais me deram. Sou-lhes muito grato todos os, e é essa educação que levo no dia a dia e vou levar até ao fim da minha vida.
Este mundo não é fácil, nem é uma profissão fácil. É um mundo que infelizmente temos de jogar com o cinismo das pessoas. E temos de respeitar o público , porque são eles que dão o valor e vêm o nosso trabalho. O povo é o mais importante para um artista.

se não fosses artista o que gostarias de ser?

Eu gosto muito da Área da saúde, por isso se não fosse músico, possivelmente seria enfermeiro, ou então gestor de empresas.

o que é ser artista em Portugal? consegue – se sobreviver da música?

Consegue se se trabalharmos cordialmente, e se formos honestos para com a profissão. Ser músico/cantor é uma arte mas muitas pessoas não o assim consideram

se não fosses artista o que gostarias de ser?

Eu gosto muito da area da saúde, por isso se não fosse musico, possivelmente seria enfermeiro, ou então gestor de empresas.

ONDE É QUE AS PESSOAS PODEM ENCONTRAR O TEU TRABALHO?

O meu trabalho está em todas as plataformas digitais e nas redes sociais. Se quiserem o meu disco podem falar com a minha agência a Monnashows ou enviar uma mensagem para as minhas páginas:
No Facebook: Ruben Pinto Oficial
No instagram:Rubenn_pinto

Rúben ao longo da entrevista falámos nos programas de tv os artistas deviam cantar ao vivo. o que achas dos colegas que fora da tv, por exemplo, nos espetáculos cantam em playback?

Em primeiro lugar, acho muito injusto. Em segundo, é uma falta de respeito pelo público. E em terceiro lugar, é preciso ter muita coragem para agir dessa forma, porque é a população que nos paga e ela merece o melhor de nós!
Acho uma falta de respeito! Eu não o faço! Apenas canto ao vivo!

Anseios para o futuro?

Tenho objetivos para 2021, um deles é ser mais reconhecido pelo meu trabalho. Depois desejo continuar a presenciar o meu público com este ar sorridente em cima do palco, sempre com esta boa energia porque o público merece. E depois, conseguir alcançar coisas que ainda não consegui alcançar até agora.

Por último Rúben queres deixar uma mensagem a todos os leitores, incluindo nós do jornal também?

O que eu vos posso deixar é uma mensagem de esperança, uma mensagem de fé, sobre a situação que nós todos estamos a passar neste momento. Fiquem em casa, não andem na rua, protejam-se e tenham cuidado! Se possível ouçam a música portuguesa! Acima de tudo sejam felizes!